Número de mortes, internações e contágio cai no Brasil com aumento da vacinação contra Covid-19

Segundo especialistas, esse momento da pandemia no país indica uma defervescência, que é quando uma doença contagiosa deixa de ser febril; ela está presente mas não apresenta gravidade

 

Por Gabriel Neves Matos | Blog Rede Juris

GOIÂNIA Mais de 76 milhões de pessoas já completaram o esquema vacinal contra a Covid-19, com as duas doses ou a dose única no Brasil. Os dados da pandemia são resultado do consórcio dos veículos da imprensa —que reúne G1, UOL, Extra, O Globo, O Estado de S. Paulo e Folha de S.Paulo com base nos números divulgados pelas Secretarias Estaduais de Saúde do país, que são atualizados a cada 24 horas.

Com isso, 76.760.153 brasileiros estão imunizados —o que corresponde a 35,98% da população (quase 36%). Os parcialmente imunizados, aqueles que tomaram apenas a primeira dose, são 139.887.121, o que corresponde a 65,58% da população. Já a dose de reforço foi aplicada em 196.972 pessoas (0,09% da população).

Desde o pico de letalidade, em 12 de abril (3.015 mortos na média móvel), até esta quarta-feira (15), com 597, a queda foi de 80,9%.

Segundo especialistas ouvidos pelo jornal O Globo, esse momento da pandemia no país indica uma defervescência, que é quando uma doença contagiosa deixa de ser febril; ela está presente mas não apresenta gravidade.

Fila para vacinação na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro | Foto: Roberto Moreyra/Agência O Globo

Fila para vacinação na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro | Foto: Roberto Moreyra/Agência O Globo

Nesta semana, também, a taxa de transmissão (Rt) do coronavírus no Brasil, caiu para 0,81%, ou seja, o menor índice desde novembro do ano passado, quando estava em 0,68% segundo o Imperial College de Londres. O índice reforça um cenário de queda nos números da pandemia.

A boa notícia não é apenas indicada por especialistas que estão trabalhando nas comissões de vacinação. Na semana passada, este blog apontou o mesmo em falas da infectologista Lissa Rodrigues, que relatou o alívio já sentido pelos profissionais da saúde nos hospitais e UTIs de Goiânia, por exemplo, desde que a vacinação foi ampliada na capital e no país. Para ler mais sobre a matéria indicada, clique aqui.

Com o cenário mais tranquilo, porém não encerrado, em Goiás já ocorre diversos eventos-teste que apontam justamente para uma fase de reabertura no setor cultural e esportivo, por exemplo.

No estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, foi promovido nesta última quarta-feira (15) um evento-teste. O jogo entre Flamengo e Grêmio, exigiu que o público apresentasse comprovante de vacinação digital (pelo aplicativo da prefeitura), comprovante negativo do teste de Covid —realizado até 48 horas antes da partida—, além, claro, do uso obrigatório de máscara dentro do estádio.

A retomada implica no seguimento aos protocolos que são, oportunamente, deliberados pela Secretarias dos estados e municípios.